História do Brasil

A Exploração do Pau-Brasil

Curta Nossa Página

A Exploração do Pau-Brasil – Brasil Colônia

A madeira de cor avermelhada, constituiu a principal riqueza do Brasil nas três primeiras décadas do século XVI e continuou a ser um produto importante durante todo o período colonial. Transformado em raspas ou pó pelas mãos dos encarcerados nas prisões flamengas, servia, quando misturado a água e ao alúmen (para fixação), de corante vermelho para o preparo de tecidos. Somente em meados do século XIX foi substituído pelas anilinas derivadas do alcatrão mineral, com o nascimento da química moderna.

A exploração do pau-brasil não exigia avultados capitais, mas sim uma mão-de-obra abundante, que era recrutada entre os indígenas, mediante à distribuição de ferramentas de metal e de quinquilharias. Uma vez abatidas as árvores, era preciso descascar o tronco para extrair o cerne, em que se concentrava a tinta. Em seguida, os paus de um a dois metros deviam ser carregados até o litoral, para embarque nos navios que seguiam até Lisboa e daí para a Flandres. Devido a demora em preparar um carregamento, na casa de muitas toneladas, cumpria armazená-lo em um local da costa abrigado e defendido. Por isso, o estabelecimento de feitorias.

Faltam dados precisos para avaliar a quantidade de pau-brasil extraído, mas, durante o século XVI, deve ter sido superior a cem mil toneladas. O comércio desse produto era considerado monopólio da Coroa (estanco), e o regime de exploração foi em geral pelo sistema de contratos, ou seja, a concessão a um particular do direito de negociar certa quantidade anual da madeira em troca de um pagamento à Coroa. Em inícios do século XVII, de cada quintal (aproximadamente 60 quilos) de pau-brasil vendido em Lisboa, ao rei cabia cerca de 36%; ao encarregado do corte no Brasil, 23%; e ao contratador, 41%.

Além do pau-brasil, portugueses e franceses obtinham dos indígenas pela troca uma série de outros produtos como papagaios, macacos, etc.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios