História do Brasil

A Guerra Santa do Contestado

Curta Nossa Página

A Guerra Santa do Contestado – Brasil República

A Revolta do Contestado, foi um movimento de caráter messiânico surgiu na zona disputada pelo Paraná e Santa Catarina (Contestado) entre 1912 e 1916, envolvendo cerca de 50 mil camponeses. Nessa região imperavam o abandono e à miséria, mas era rica em recursos florestais e erva-mate. Além disso, conheceu a violência das lutas na revolução federalista, as disputas entre coronéis, e foi assolada pelo banditismo. E como os coronéis detinham grande parte das terras, deixaram uma massa dos camponeses sem trabalho e os trabalhadores que depois de construir a estrada de ferro que ligava São Paulo ao Rio Grande do Sul.

Em 1912 apareceu na região o ex-soldado e beato Miguel Lucena de Boaventura, que anunciava curas e uma vida melhor no Paraíso e dizia-se irmão e sucessor de um velho eremita tido como santo e tomou o nome de José Maria de Santo Agostinho. Pregava a vinda do exército de São Sebastião, que derrotaria as forças do mal, e a criação de um reino místico. Cercou-se de uma guarda, que chamava de “Os Doze Pares de França”.

O movimento também foi identificado como reação monárquica. Logo se iniciou a repressão pelo exército, por tropas estaduais e vaqueanos (jagunços); José Maria foi morto, mas substituído por outro “santo”. As investidas oficiais que se seguiram foram violentas, com os camponeses sobreviventes recorrendo a táticas de guerrilha, dispersando-se, reunindo-se novamente para resistência, atacando e atraindo novos adeptos. Chegaram a interromper o tráfego ferroviário.

Finalmente, em 1915, depois de três anos de combates, as tropas oficiais destruíram várias “Vilas Santas” dos rebeldes, matando mulheres, velhos e crianças, dando o fim do movimento.

 

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar